Leitores Online

23 de set de 2018

Jair Messias Bolsonaro


Candidato a presidência da República Federativa do Brasil que infelizmente não tem o conhecimento de economia e vai deixar essa função para o General Antônio Hamilton Martins Mourão em quem confia.   Esse é o seu erro, em vez de confiar em alguém deve primeiro fazer um estudo conciso nessa área da economia política. Esse seu amigo em que tanto confia o General Mourão tem as mesmas perspectivas de economia arcaica em desuso nos EUA, mas, sempre aplicável em outros países a favor dos banqueiros internacionais, principalmente nos países do terceiro mundo e emergentes.

Vou dar algumas dicas para que o candidato Bolsonaro não fique a mercê de idéias arcaicas de outrem e caia na mesma armadilha que os presidentes anteriores vêm utilizando essas fórmulas econômicas que só dá prejuízo aos brasileiros.

DICAS:
1º - Deve ao assumir a presidência do Brasil, revogar todas as PECs elaboradas pelo atual presidente Michel Temer e reformular novas leis que não punam severamente o povo brasileiro faça leis com justiça sem austeridade, e punam os verdadeiros culpados pela crise nacional e internacional imposta ao Brasil.

2º - Passar um calote por dois ou até vinte anos nos banqueiros internacionais para salvar o Brasil dessa dívida caótica criada pelos presidentes anteriores; e os juros que deveriam ser enviados para os banqueiros deveriam ficar no Brasil para resolver de imediato todos os problemas nacionais. Desafogar o Tesouro Nacional.

3º - Revogar todos os contratos de privatizações e leilões criminosos, antipatrióticos, com as empresas internacionais, e o governo começar a administrar com sabedoria e sem corrupção para gerir mais lucros aos cofres da nação.

4º - Aumentar o Salário Mínimo no valor real e não fictício como vem dando aos trabalhadores, verdadeiro salário de fome. Aumentar os vencimentos de todos os funcionários públicos do Brasil que está defasado há muitos anos e o mais importante não deixar o poder econômico repassar esses aumentos ao consumidor e sim, pagar os seus funcionários com os lucros da empresa e também, proibir que as multinacionais enviem os lucros para as matrizes.

5º - Com o consumo em alta, a indústria e comércio em expansão, não haveria mais desemprego e nem déficit nos cofres do Brasil.

6º - O governo deveria criar um Lastro Ouro para garantir e estabilizar a moeda nacional, evitando essa gangorra no câmbio internacional.

Com esses aumentos salariais o Brasil começaria a se desenvolver da seguinte maneira:

a – Toda população brasileira começaria a consumir e o governo a arrecadar mais impostos desse consumo interno;
b – Por causa desse consumo através de salários e vencimentos altos, as empresas começariam a produzir mais e modernizariam as maquinarias que iria expandir o crescimento econômico e financeiro dos empresários nacionais e internacionais evitando as falências. Dessa forma evitaria às inflações e deflações desde que o governo estivesse atento as manobras monetárias e comerciais. 

c – Com o poder de presidente da República em pleno mandato deveriam dividir o câmbio comercial em dois, separadamente um do outro, ou seja, faria o câmbio de exportação e o câmbio de importação com valores diferenciais um do outro. Hoje, o câmbio comercial está atropelando o câmbio de exportação e importação, um dependendo do outro, para desenvolver o país. Se houver a separação cambial haverá um mercado livre sem nenhum atropelo para a comercialização de importação e exportação.

Veja se o candidato a presidência da República fosse confiar cegamente no conhecimento de economia já defasada do General Mourão seria um desastre e era a continuação de todos os presidentes entreguistas que já tivemos no poder, seria um segundo Henrique Meirelles na economia nacional. 

Apesar de se convalescer de um atentado político criminoso, o Bolsonaro impediu de o General Mourão dar entrevistas nas mídias como se fosse o próprio candidato, pelo visto quando Bolsonaro estivesse na presidência do Brasil quem iria governar seria o General Mourão e o Bolsonaro mera figura decorativa. Ainda bem que o Bolsonaro cortou o mal pela raiz, deu o pulo do gato em tempo, impedindo do general fazer quaisquer entrevistas em seu nome.

Seria um desastre total de acordo com um vídeo em que o General Mourão expôs as suas idéias de economista entregando as riquezas do país ao poder econômico privado e internacional, que está no link abaixo:




Por: Ernani Serra
Pensamento: Confie, desconfiando sempre.
Ernani Serra

21 de jul de 2018

Robôs Sexuais estão sendo feitos para substituir os Homens


Sexo com robôs sexuais vai se tornar prática comum até 2025, ultrapassando mesmo sexo entre humanos, segundo o futurologista Ian Pearson.    O relatório dele sobre o futuro do sexo foi publicado em parceria com Bondara, uma das maiores lojas de brinquedos sexuais do Reino Unido.

Em 2030 o sexo virtual vai se tornar tão casual como navegar por sites pornográficos e, em 2035, muitos terão brinquedos que interagem com a realidade virtual, de acordo com o relatório. Na verdade, grupos de alta renda poderiam começar a usar algumas formas de sexo com robô já em 2025, antes da prática ultrapassar o sexo entre seres humanos totalmente em 2050.

“Inicialmente, as pessoas vão achar que é difícil se adaptar a essa nova atividade sexual, mas acabarão por se acostumarem com isso, assim como eles abraçaram pornografia”, diz Pearson. “Quando as aparências de robôs melhorarem, a opinião das pessoas também vai mudar”, acrescentou.

“Muitas pessoas ainda têm ressalvas sobre sexo com robôs, mas gradualmente, à medida que se acostumarem a eles, como com o comportamento de inteligência artificial e mecânica,  além da melhora de sensação, eles podem começar a se tornar amigos com laços emocionais fortes. E a tendência é que algumas pessoas abracem o robô sexual, livre de relacionamento, assim que eles podem pagar um, já em 2025. E  ele não terá muita chance de ultrapassar o sexo com os seres humanos, em geral, até 2050 “, explicou Pearson.

Bizarro: Robôs que fazem sexo ficam mais reais e até já respondem a carícias
Joe toca Anita, diz algumas palavras-chave lidas de um cartão e pergunta: "O que acontece agora?". Ela é um robô com feições humanas e responde: "O que você quiser". Eles fazem sexo.

A cena é da série "Humans", do canal AMC, que teve a primeira temporada exibida neste ano e imagina como as relações se complicarão quando robôs se tornarem produtos acessíveis.

"Humans" não está assim tão longe da realidade - ao menos na questão sexual, o que levanta polêmicas sobre o uso máquinas "inteligentes" para o prazer.

A companhia americana True Companion afirma ser a primeira do mundo a fornecer robôs sexuais. O modelo feminino Roxxxy é vendido desde 2010 (também há uma versão masculina).

O aparelho movimenta a cabeça e fala com o usuário ("Estou tão excitada", diz ela quando lhe tocam os seios, de acordo com um vídeo de demonstração). Também pode ter aparência customizada (o cliente escolhe suas características) e cinco opções de personalidade pré-programadas (da mais comportada à ousada). Os orifícios têm sensores e motores para permitir uma experiência mais realista. O preço: US$ 7.000.

"Robôs nunca estão aborrecidos e nunca trairão ou trarão doenças aos parceiros. O que nossos clientes querem é amor incondicional", diz à Folha o fundador da companhia, Douglas Hines, que não revela quantos robôs, feitos sob demanda, já vendeu.

A empresa Real Doll, também dos EUA, trabalha em uma nova versão de suas bonecas realistas, que já tiveram 8.000 unidades vendidas, inclusive para o Brasil - eles também vendem uma versão masculina.

O objetivo é permitir que os aparelhos, feitos em tamanho real de humanos, também respondam com expressões faciais às carícias dos donos.

"Tivemos consumidores que se casaram com suas bonecas, afirmando que elas salvaram suas vidas após a morte de um parceiro ou o fim do relacionamento", disse a empresa à Folha, em nota.

ROBOFILIA
Nem todo mundo vê essas "relações" com bons olhos. Em setembro, Kathleen Richardson, pesquisadora de ética em robótica da Universidade De Montfort (Reino Unido), lançou a campanha "Não Faça Sexo com Robôs".

Para ela, o tema está intimamente ligado à transformação de pessoas em objetos - as máquinas, segundo ela, reforçam os estereótipos e transformam as próprias pessoas em objetos.

"É perigoso organizar a sociedade em volta da despersonalização de alguns, porque seus corpos atendem aos desejos de outros usando mais poder e recursos", diz.

"Aqueles que promovem o sexo com robôs estão dizendo às pessoas que seria igual a ter um relacionamento com uma pessoa. É um absurdo: um robô só imita o comportamento humano."

O consultor em tecnologia britânico Ian Pearson, que alardeia ter um índice de acerto de 85% em suas previsões para o futuro, diz que é inevitável que, em algum tempo, transar com robôs seja tão comum quanto com humanos, popularizando a "robofilia".

"Pessoas certamente irão se apaixonar pelas máquinas e pela inteligência artificial – que pode, inclusive, retribuir", afirma o pesquisador, autor de um estudo divulgado neste ano sobre o assunto (leia mais abaixo).

Para ele, o diferencial das máquinas será a customização e a interatividade, por meio da inteligência artificial.
Todo esse desenvolvimento terá impacto na sociedade, levantando questões éticas. "De qualquer modo, não acho que as pessoas vão parar de ter famílias por causa dos robôs. O que pode acontecer é que uma pequena parcela da população, que não tem habilidades sociais, se vicie nessa prática", afirma Pearson.

PREVISÕES PARA O SEXO NO FUTURO

2030
A maior parte das pessoas vai fazer alguma forma de sexo usando realidade virtual – com a mesma frequência com que se vê pornografia hoje. Com o desenvolvimento de lentes de contato para a transmissão, a experiência será cada vez mais realista
2035
A maioria das pessoas terá seu próprio brinquedo ou dispositivo de sexo (como vibradores) que interage com realidade virtual. Com a ´Internet das coisas´, nosso sistema nervoso vai se conectar diretamente à rede, nos permitindo experimentar sensações
2050Começaremos a ver o sexo com robôs se popularizar. Isso separará ainda mais o relacionamento amoroso do sexo, tornando comum que parceiros transem com máquinas, sem que considere isso uma traição.

Comentário:
A humanidade está se distanciando uns dos outros e se promiscuindo com as máquinas robotizadas, ao ponto de se tornarem iguais a essas invenções bizarras e paranóicas.

As pessoas estão perdendo a sensibilidade do amor, da fraternidade, do aconchego, do carinho humano, trocando esse calor humano pelos frios movimentos mecanizados de um robô seja ela a imagem de homem ou mulher. 

O homem está se afastando do amor para se alinhar ao desejo frio do desamor num sentimento anormal com criaturas sem almas, sem vidas, um relacionamento bizarro de pessoas anormais que perderam o juízo. No futuro vamos ter novas doenças mentais sobre robofilias como já temos com: Uso excessivo de celular; pedofilia, zoofilia, pornofilia, etc. Todos os vícios geram uma doença crônica.

Parece até que o ser humano deixou de ser humana para se tornar parte desses androides criados por seres que se acham os deuses da Terra.

Estamos caminhando para o fim do mundo dos seres vivos onde a criatura humana perdeu os seus valores morais e até a sua essência divina de amar os seus semelhantes, o homem está se transformando em andróides frios sem vidas. Isso tudo é uma verdadeira loucura, a humanidade está doente e enlouquecendo é preciso de um internamento psiquiátrico global para ajeitar essa percepção cerebral antes que seja tarde demais para corrigir essas aberrações psicopatas.






Por: Ernani Serra
Pensamentos: Quando o homem tende a amar um andróide é preciso estar atento ao futuro da humanidade.
Ernani Serra

4 de jul de 2018

Refugiados Venezuelanos


O Brasil está passando por uma crise social, econômica, financeira e política e está se dando ao luxo de acolher imigrantes de outros países.

As autoridades dizem que é uma questão de humanidade e solidariedade humana. O Brasil tem um grande número de pessoas abaixo da linha de pobreza ou seja, (os miseráveis) e o governo nada faz para melhorar a situação dessas pessoas e nem dá um salário digno aos trabalhadores, mas, tem dinheiro para dar aos refugiados estrangeiros; o que estão negando ao seu povo, estão jogando dinheiro no lixo com essas ajudas humanitárias sem nenhum retorno financeiro para o Brasil. Os venezuelanos estão sendo locados em todo território do Brasil, e com direitos a saúde, educação e empregos, estão dando uma vida nova a essas pessoas enquanto isso, o seu povo fica esquecido e morrendo a míngua, abandonados pelas autoridades nacionais.

O governo federal está gastando uma fortuna com a distribuição dos refugiados para todos os Estados da União e com hospedaria, educação, alimentação, serviço de saúde com assistência médico-hospitalar do Estado e com empregos garantidos aos imigrantes venezuelanos. Temos que abrir as portas para todos os refugiados do mundo em detrimento aos interesses de segurança nacional e do próprio povo brasileiro.

Parece até, que o Brasil está nadando em dinheiro público, o governo está gastando mais do que arrecada e a crise aumenta dia após dia. 

O presidente Donald Trump enviou ao Brasil o seu vice-presidente Mike Pence que elogiou e insentivou a ajuda humanitária com relação aos refugiados venezuelanos, enquanto o presidente dos EUA tem verdadeira ojeriza aos refugiados e imigrantes ilegais, fechando toda fronteira com o México; o que não é bom para os EUA também não é bom para o Brasil. Não dê ao outro aquilo que não querem que os outros lhe dêem. 

Quando o presidente Donald Trump não quer aceitar mais os refugiados e imigrantes ilegais é porque essas pessoas só trazem problemas para o país e para a nação em detrimento ao desenvolvimento nacional e para a população norte-americana. Donald Trump está certo em suas decisões contra esse falso humanismo que não tem nenhuma humanidade com os nativos que sofrem dentro dos EUA. 

Os EUA não é esse paraíso que muita gente sonha, lá existem os miseráveis que estão camuflados em apartamentos, nas ruas, nos matos, todos passando muita fome e necessidades e vivendo da caridade pública, o governo não faz nada para salvar essas pessoas porque estão dando abrigo aos refugiados e imigrantes estrangeiros.




Por: Ernani Serra
Pensamento: O Brasil é o celeiro da humanidade e o campo de concentração dos brasileiros, enquanto alimentamos o mundo passamos fome dentro do Brasil.
Ernani Serra