Leitores Online

20 de fev de 2018

Intervenção Político-Militar


Essa intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro decretado pelo presidente Michel Temer de maneira temporária até o dia 31 de dezembro de 2018 está havendo muitas discordâncias no meio político em que, uns são a favor e outros são contra. 

A bancada do governo está apoiando a intervenção e a oposição está contra porque tem medo que se torne uma ditadura militar.

Essa decisão do presidente Michel Temer em decretar a intervenção militar com o apoio do Ministro da Defesa Raul Jungmann que é um civil na pasta militar é muito suspeita e estranha, tudo indica que foi um golpe de marketing por causa da resistência dos políticos contrários a Reforma da Previdência; como o governo já não tem mais dinheiro para comprar os políticos para votarem a favor da Reforma da Previdência, usou desse artifício para amedrontar o Congresso Nacional e consequentemente aprovar a Reforma da Previdência que são os ovos de ouro da galinha do governo.

O presidente Michel Temer só se aventurou nessa empreitada de intervenção porque recebeu a aprovação e a segurança do Ministro da Defesa e dos generais do Exército.

Essa intervenção militar poderá ser a ponta do iceberg para outras intervenções em outros Estados do Brasil com o propósito de uma meia ditadura civil-militar, para dar continuidade ao governo de Michel Temer, para garantir as reformas austeras que o presidente Temer, ministro da fazenda Henrique Meirelles, os magnatas e banqueiros tanto desejam impor essas leis antissociais, impopulares, contra o povo brasileiro em benefício dos empresários nacionais e das multinacionais. 

O presidente Michel Temer está implantando leis elaboradas pelos economistas do primeiro mundo e enfiando de guela abaixo essas leis a nação para desenvolver o Brasil para as classes abastadas.

Com as Forças Armadas a favor do governo é bem capaz de não haver eleições presidenciais, pois, o presidente conta com os militares nas ruas para manter o seu posto presidencial e dar continuidade a esse rolo compressor de leis austeras contra o povo e os trabalhadores.

Os interessados pela conspiração não estão gostando da resistência dos políticos contra a Reforma da Previdência e, querem a continuação desse governo por mais alguns anos, para implantar todas as leis austeras contra o povo, deixando esse povo mais pobre e miserável e os ricos mais ricos de preferência os estrangeiros.

Os militares de hoje não são mais confiáveis como os militares de antigamente que defendiam a nação e o país, hoje, estão coniventes com todas as ações e reações desse governo atual.

Cada dia que passa estão pondo mordaças, grilhões, censuras, etc., contra o povo.

O povo está perdido no deserto, completamente abandonado.






Por: Ernani Serra
Pensamento: É preciso uma insurreição para revogar todas essas leis austeras até hoje promulgadas pela Presidência da República contra o povo e aos trabalhadores por esse presidente impopular e inconstitucional dentro de uma República Federativa do Brasil sem apoio e voto do povo.
Ernani Serra