Leitores Online

11 de mar de 2018

Sequestraram, roubaram, fizeram a farra com o Dinheiro Público

Não é de hoje que os políticos vêm fazendo a farra com o dinheiro público, isso já vem de longos anos, só que, agora não quiseram mais jogar xadres e sim dá o xeque-mate (o rei está morto) no tabuleiro das finanças do Erário Público.

Desde o governo de Fernando Henrique Cardoso que já estava preparando o xeque-mate no Brasil, com os leilões e privatizações estrangeiras.

Depois vieram os governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff que realmente deram o xeque-mate no social, na economia, nas finanças, etc. do Brasil. 

Ambos vinham enganando o povo com o falso populismo de um pseudo-socialismo quando na verdade estavam a serviço do capitalismo cruel dos banqueiros e dos países do primeiro mundo globalizado. Se ambos fossem realmente socialistas e a favor dos trabalhadores e em vez de darem salários mínimos deveriam ter corrigido os salários dos trabalhadores com o poder de consumo e não por uma falsa estatística de inflação que só vem beneficiar os grandes e médios empresários. 

Se fossem socialistas como pregavam deveria dar salários condizentes ao que manda a Constituição Federal no  Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 90, de 2015) e não um salário de fome e miséria aos trabalhadores.

Se realmente fossem socialistas não permitiam que os empresários aumentassem os produtos por conta do aumento salarial do salário mínimo, quando na verdade, aumentar o salário do trabalhador na empresa privada faz parte do patrimônio da empresa e não do poder de compra do povo. O povo não deve pagar o salário dos trabalhadores das empresas. Isso é inconstitucional.

Esses dois presidentes da República do Brasil, (Dilma e Lula) deixaram o Brasil na inadimplência com déficits incomensuráveis nos cofres dos banqueiros internacionais. O Brasil de hoje deve a Deus e ao Mundo.

Foram articuladores de uma trama internacional com o propósito de falir o país e a economia do povo brasileiro, deixando o Brasil a deriva num lamaçal de débitos pela corrupção dos políticos e construtoras, numa toma lá, dá cá. Tudo pela usura.






Por: Ernani Serra
Pensamento: As obras corruptas no Brasil “levam a nada, a lugar nenhum”; desperdício de dinheiro público no vai e vem das propinas.
Ernani Serra