Leitores Online

9 de dez de 2018

Como sair da Crise


Estamos caminhando para uma segunda crise econômica e financeira imposta pelos banqueiros internacionais irresponsáveis em fornecer empréstimos acima do permitido e também, acima do poder de resgate dessa dívida infinita pelo Brasil. O Brasil hoje está endividado e sem o poder de pagar com suas riquezas que estão nas mãos de capitais estrangeiros e consequentemente o governo vai direcionar essa dívida para o povo pagar com sacrifício e sangue. 

O governo está pretendendo privatizar todos os ativos de empresas estatais no valor de R$ 1,6 trilhões para amenizar os juros compostos da dívida pública interna devida ao FMI e outros bancos; o que fazer quando esse dinheiro acabar? Tem os otários do povo para pagar através dos impostos, das PECs, da Reforma da Previdência, e muitas outras leis contra o povo inocente que não contribuiu nem um pouco para esse mega financiamento bancário internacional.

O governo está brincando com fogo em não dar salários altos aos seus funcionários e também ao Salário Mínimo do trabalhador acima dos R$ 3 mil que representa o povo em geral. O povo já está sentindo a deflação monetária no seu poder aquisitivo e por causa disso, estão comprando menos a cada dia, causando um déficit no varejo e no atacado. Vai acontecer como já aconteceram antes; as indústrias e o comércio vão parar ou falirem em massa por causa dos altos impostos governamentais e o déficit salarial do povo. 

O trabalhador bem remunerado vai dinamizar toda máquina produtiva do país, vai aumentar o superávit dos impostos ao governo, vai produzir Bem-estar social.   Sem salários dignos ao trabalhador civil e público é uma porta aberta para os chineses e outras nações invadirem o mercado industrial e comercial em detrimento ao poder econômico nacional.

Querem por acaso transformar o nosso povo em escravos das multinacionais e o Brasil em uma multinacional? 

Do jeito que está indo, o país aumentando a miséria e a pobreza do povo brasileiro vai chegar a um limite que o sangue de barata dos brasileiros vão se tornar sangue quente e vão reagir de maneira violenta e com isso, vai aumentar as despesas do governo com as destruições de prédios, carros, etc. Foi o que aconteceu em Paris na França, o povo ficou sufocado com os aumentos de impostos, combustíveis e mercadorias e partiu para a violência contra o governo.

Se esses trilhões de reais fossem aplicados nos aumentos salariais civis e públicos em dois anos o Brasil já estava produzindo e dando o retorno em dobro dessa aplicação governamental. O salário bem remunerado é o dínamo que produz a energia do mercado, sem salários suficientes o mercado vai a falência. 

Se o governo tivesse a coragem de passar um calote nos banqueiros por vinte anos em menos de um ano o Brasil estava com as contas no superávit econômico e financeiro e a caminho de se tornar uma nação independente e de primeiro mundo. Os banqueiros são magnatas que podem esperar enquanto o povo a cada dia sem poder de compra vai ficando mais miserável e faminto. Já temos mais de 14% de desempregados no Brasil um recorde de desempregos, isso é, se a estatística não estiver escondendo a real situação da nação.

Os governos atuais só querem que o povo se exploda e os banqueiros fiquem cada dia mais ricos à custa da miséria alheia (das nações e dos países).








Por: Ernani Serra
Pensamento: Soberania interna de um país é o estado de nacionalismo que garante a independência social, econômica e financeira de uma nação. 
Ernani Serra

Privatizações e Corrupções


O Brasil começou a ficar em crise no governo de Juscelino Kubitschek (JK) com os favorecimentos das indústrias automobilísticas estrangeiras invadindo o mercado nacional. Essas foram as suas metas:

Manteve o regime democrático; - Elaborou o famoso Plano de Metas em 1956; - Permitiu a abertura da economia brasileira ao capital estrangeiro; - Iniciou a indústria automobilística; - Construiu nossa capital Federal (Brasília).

Juscelino em sua campanha disse: "farei o Brasil crescer 50 anos em 5", e o sinônimo de crescimento naquela época eram industrias. O presidente favoreceu o capital estrangeiro e sua entrada no Brasil, contratou o renomado Oscar Niemeyer e o talentoso Lúcio Costa para construir a nova capital federal. Estreitou laços com países capitalistas, adotou medidas a favorecer macro-empreendedores e não se preocupou com as críticas.

Foi com essas metas governamentais de JK que o Brasil pela primeira vez se deparou com a inflação galopante e uma dívida externa sem precedentes na história deste país. JK foi o presidente entreguista do capital estrangeiro e deixou o Brasil numa grande crise financeira e a mercê dos banqueiros internacionais. JK foi o primeiro presidente que afundou o país em nome de um progresso que só beneficiou o mercado internacional e os banqueiros que financiou toda essa fantasia e vaidade do presidente JK.

Desde o governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC) que o nosso país vem sendo sucateada pelas privatizações e leilões criminosos de Lesa a Pátria. Apesar de todas as privatizações do FHC o Brasil continuou na mesma crise ou pior, porque as privatizações não foram aplicadas em benefício da crise brasileira e sim, dos banqueiros.

Se houve uma conspiração para afundar o Brasil foi através das artimanhas dos banqueiros com a conivência da política corrupta da Dilma Rousseff.

O governo da Dilma Rousseff foi um desastre, um tsunami, um iceberg que atingiu o Brasil e deixou a deriva no mar de lama da corrupção e dos corruptores. A Dilma Rousseff recebia dinheiro dos banqueiros e fazia que estava aplicando e deixava as obras pela metade, dinheiro jogado no lixo; e foi dessa maneira que o país faliu, e agora está com uma dívida incalculável para pagar aos banqueiros internacionais. Só de juros compostos por mês é uma fortuna que o Brasil não tem como pagar porque toda fortuna do país está em mãos estrangeiras e no final o povo é que paga o pato.

Veio o Michel Temer para acabar de afundar o país e a nação brasileira. Esse presidente veio com vontade de entregar o Brasil ao capital estrangeiro e aos banqueiros com o mesmo propósito do governo da Dilma Rousseff. Veio para dar o golpe de misericórdia no Brasil, já que, a economia já estava comprometida só faltava falir a sociedade brasileira. Aí começou as PECs e leis austeras contra o povo brasileiro e a favor dos empresários internacionais e do poder econômico poderoso nacional.   Os responsáveis pelas dívidas do país nada sofreram e estão punindo um povo sofrido e inocente.

Chegou a era Bolsonaro que está com as mesmas idéias da Dilma e do Temer com relação às privatizações, já criou uma secretaria de privatizações no seu ministério e já fizeram um cálculo para privatizar os ativos do governo com um lucro de um trilhão e seiscentos bilhões de reais, só que, esse dinheiro todo não vai resolver a crise do Brasil porque o Bolsonaro vai pagar os juros compostos da dívida externa aos banqueiros. Esses presidentes preferem sacrificar e matar o povo a passar um calote nesses magnatas dos bancos por vinte anos. 

O Brasil só vai sair da crise quando houver um governo nacionalista que tenha a coragem de passar um calote nos banqueiros e o capital que iria para os juros compostos ficariam para resolver os problemas internos do país.






Por: Ernani Serra
Pensamento: “Devo não nego, mas só pago quando puder”, esse é o lema para sair da crise imediatamente.
Ernani Serra

1 de dez de 2018

Brasil Chinês e Multinacional


Já não bastam tantas empresas multinacionais no mercado interno do país ainda vêm as multinacionais chinesas para completar o quadro de invasores de nosso território. 

Os mercados de quinquilharias chinesas estão por toda parte do país. Enquanto as empresas nacionais fecham às portas as chinesas tomam o seu lugar para vender esses produtos no mercado de varejo a preços mais acessíveis por se tratar de mercadorias contrabandeadas e também, não pagam impostos ao país. Esses chineses são mestres em falsificações de produtos de marcas por genéricos vendidos por eles; e foi assim que os chineses foram conquistando todo mercado nacional em detrimento do mercado oficial que pagavam e pagam impostos até hoje e estão sufocados por esses impostos tão elevados.

Além de estarem navegando e pescando em águas brasileiras os chineses ainda se acharam donos das águas internacionais e tentaram afundar o navio de pesca brasileiro que saiu avariado para o porto Potiguar em Natal-RN. Eles estão intimidando os pescadores nacionais para ficarem com medo e não mais pescarem naquela região.

Eles agem assim com nossas embarcações de pesca porque sabem que no Brasil não há fiscalização naval e se tem estão com medo desses chineses prepotentes e que, se acham o dono do oceano internacional e nacional. Os estrangeiros já estão manobrando com as autoridades constituídas do Brasil e o Brasil se tornou órfão de pai e mãe, como um fdp todos metem a mão nas riquezas desse país bobão. O Brasil já não é mais dos brasileiros é como um navio a deriva no mar ou está em quarentena pela peste da corrupção.

 
 
 




Por: Ernani Serra
Pensamento: Dás o que tens e ficarás sem nada. O Brasil é uma embarcação com carga de tubarões e piranhas e navegando num oceano de dejetos sob uma tempestade de gases fétidos.
Ernani Serra