Leitores Online

23 de set de 2018

Jair Messias Bolsonaro


Candidato a presidência da República Federativa do Brasil que infelizmente não tem o conhecimento de economia e vai deixar essa função para o General Antônio Hamilton Martins Mourão em quem confia.   Esse é o seu erro, em vez de confiar em alguém deve primeiro fazer um estudo conciso nessa área da economia política. Esse seu amigo em que tanto confia o General Mourão tem as mesmas perspectivas de economia arcaica em desuso nos EUA, mas, sempre aplicável em outros países a favor dos banqueiros internacionais, principalmente nos países do terceiro mundo e emergentes.

Vou dar algumas dicas para que o candidato Bolsonaro não fique a mercê de idéias arcaicas de outrem e caia na mesma armadilha que os presidentes anteriores vêm utilizando essas fórmulas econômicas que só dá prejuízo aos brasileiros.

DICAS:
1º - Deve ao assumir a presidência do Brasil, revogar todas as PECs elaboradas pelo atual presidente Michel Temer e reformular novas leis que não punam severamente o povo brasileiro faça leis com justiça sem austeridade, e punam os verdadeiros culpados pela crise nacional e internacional imposta ao Brasil.

2º - Passar um calote por dois ou até vinte anos nos banqueiros internacionais para salvar o Brasil dessa dívida caótica criada pelos presidentes anteriores; e os juros que deveriam ser enviados para os banqueiros deveriam ficar no Brasil para resolver de imediato todos os problemas nacionais. Desafogar o Tesouro Nacional.

3º - Revogar todos os contratos de privatizações e leilões criminosos, antipatrióticos, com as empresas internacionais, e o governo começar a administrar com sabedoria e sem corrupção para gerir mais lucros aos cofres da nação.

4º - Aumentar o Salário Mínimo no valor real e não fictício como vem dando aos trabalhadores, verdadeiro salário de fome. Aumentar os vencimentos de todos os funcionários públicos do Brasil que está defasado há muitos anos e o mais importante não deixar o poder econômico repassar esses aumentos ao consumidor e sim, pagar os seus funcionários com os lucros da empresa e também, proibir que as multinacionais enviem os lucros para as matrizes.

5º - Com o consumo em alta, a indústria e comércio em expansão, não haveria mais desemprego e nem déficit nos cofres do Brasil.

6º - O governo deveria criar um Lastro Ouro para garantir e estabilizar a moeda nacional, evitando essa gangorra no câmbio internacional.

Com esses aumentos salariais o Brasil começaria a se desenvolver da seguinte maneira:

a – Toda população brasileira começaria a consumir e o governo a arrecadar mais impostos desse consumo interno;
b – Por causa desse consumo através de salários e vencimentos altos, as empresas começariam a produzir mais e modernizariam as maquinarias que iria expandir o crescimento econômico e financeiro dos empresários nacionais e internacionais evitando as falências. Dessa forma evitaria às inflações e deflações desde que o governo estivesse atento as manobras monetárias e comerciais. 

c – Com o poder de presidente da República em pleno mandato deveriam dividir o câmbio comercial em dois, separadamente um do outro, ou seja, faria o câmbio de exportação e o câmbio de importação com valores diferenciais um do outro. Hoje, o câmbio comercial está atropelando o câmbio de exportação e importação, um dependendo do outro, para desenvolver o país. Se houver a separação cambial haverá um mercado livre sem nenhum atropelo para a comercialização de importação e exportação.

Veja se o candidato a presidência da República fosse confiar cegamente no conhecimento de economia já defasada do General Mourão seria um desastre e era a continuação de todos os presidentes entreguistas que já tivemos no poder, seria um segundo Henrique Meirelles na economia nacional. 

Apesar de se convalescer de um atentado político criminoso, o Bolsonaro impediu de o General Mourão dar entrevistas nas mídias como se fosse o próprio candidato, pelo visto quando Bolsonaro estivesse na presidência do Brasil quem iria governar seria o General Mourão e o Bolsonaro mera figura decorativa. Ainda bem que o Bolsonaro cortou o mal pela raiz, deu o pulo do gato em tempo, impedindo do general fazer quaisquer entrevistas em seu nome.

Seria um desastre total de acordo com um vídeo em que o General Mourão expôs as suas idéias de economista entregando as riquezas do país ao poder econômico privado e internacional, que está no link abaixo:



Por: Ernani Serra 
Pensamento: Confie, desconfiando sempre. 
Ernani Serra