Leitores Online

15 de nov de 2018

Leis Austeras, Antissociais, Traidoras

Contratação de terceiros, por parte de uma empresa, para que eles realizem serviços, buscando diminuir custos e economizar recursos, agilizando e desburocratizando o processo administrativo. Modo de organização que dá permissão a uma empresa para que ela transfira a outra suas atividade-meio (as que não têm relação com a atividade principal da empresa), dispondo de maiores recursos para sua atividade-fim (a atividade principal da empresa). Ação ou efeito de terceirizar, de sofrer ou ser alvo de terceirização.

Não é nada disso que está acima e sim, um meio de facilitar as coisas para a classe patronal privada nacional e internacional. Foi um meio de trazer as empresas estrangeiras para o Brasil com o sacrifício dos trabalhadores.

O governo abre mão de todas as suas obrigações para deixar nas mãos dos terceirizados. Os terceirizados são empresas que vão explorar monetariamente o governo que por sua vez preferem ser extorquidos por essas empresas de contrato do que assumir com seu próprio pessoal e dar melhores oportunidades aos seus servidores. A terceirização é um meio de haver conchavos com a empresa contratada e a contratante, e a continuação da corrupção do toma lá, dá cá e as propinas.

Todos os governantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e o próprio Michel Temer vêm se comportando como presidentes antissociais para agradar os empresários internacionais que desejam explorar o Brasil pagando o mínimo aos trabalhadores brasileiros e também querem o fim das leis que protegem essa classe trabalhadora nacional.

Agora chegou o Bolsonaro para agradar essa classe empresarial estrangeira extinguiu o Ministério do Trabalho para deixar o trabalhador como escravo dos empresários nacionais e internacionais, sem nenhum direito e sem defesa. Os trabalhadores brasileiros estão sendo aniquilados por novas leis austeras e antissociais que os deixam marginalizados e a mercê da exploração dos patrões.

O presidente Jair Bolsonaro se diz nacionalista, mas está se comportando como um entreguista de direita apoiando todas as PECs criminosas, e sufocantes (inclusive a PEC 55 que escraviza o trabalhador por vinte anos sem aumento salarial) elaboradas pelos economistas dos banqueiros para o seu bel prazer, e ainda está de pleno acordo com as privatizações e leilões do patrimônio brasileiro que é traição de Lesa a Pátria. Resta muito pouco para o Brasil se tornar um país multinacional. 

O Bolsonaro que diz que vai governar para todos não está mostrando em suas ações porque está defendendo os interesses do poder econômico nacional e internacional, logo está governando para essa classe poderosa e enganando o povo brasileiro.

As empresas estrangeiras estão engolindo todas as empresas nacionais que estão dando lucros para que essas empresas não se tornem poderosas e comandem o país, no momento, quem estão no comando do país são as multinacionais. 

Se o Bolsonaro quer mesmo salvar o país dessa crise governamental e também a Previdência Social é só colocar nas ruas todos os fiscais para cobrarem todos os impostos devidos pelos sonegadores das empresas nacionais e multinacionais e em menos de um mês a Previdência já não está mais no vermelho, só vai haver superávit nos cofres públicos e não há necessidade de Reformas: Fiscal e Previdenciária.  Essas reformas são pretextos para sufocar o povo e melhorar a vida das empresas privadas e do Estado. O povo é que pague o pato.
  






Por: Ernani Serra 
Pensamento: Os políticos dizem uma coisa e fazem outra. 
Ernani Serra